Dossiês

Comunicar

Reflexão

Catarina Brito
08/08/2016
0
Comunicação, Educação e Cultura são três conceitos que funcionam como um ciclo dependente, onde a ausência de um tem resultados significativos na vida de um indivíduo. Principiando pela comunicação, entendemos que esta funciona como algo essencial na vida de um ser humano, pois desde que nascemos não só tentamos comunicar de modo a que os outros nos ouçam, mas sim que também nos compreendam.

Comunicamos por olhares, por gestos, por palavras e expressões. Através da comunicação entendemos, aprendemos e sabemos. Tornamo-nos seres sapientes. Seres que a determinada altura necessitam de ir mais além e colocar os seus conhecimentos em dúvida. Desta dúbia surge a educação, cingindo-se por dois estágios. Num primeiro, a educação é vista como uma absorção perante o crescimento do indivíduo, isto é, os fatores predominantes, os acontecimentos ocorridos no troço do seu desenvolvimento consoante os meios envolvidos. Num segundo estágio observa-se uma educação mais ligada ao conhecimento, aquela que adquirimos em salas de aulas, aquelas que encontramos nos livros, que é adquirida e conhecida. Contudo, mais uma vez, ambos os estágios funcionam de forma complementar. Pode-se então dizer que a comunicação é um vínculo da educação. Para sabermos comunicar, teremos de ser educados para tal, e para obtermos educação é fulcral termos as noções mínimas da comunicação de modo a estabelecer uma partilha de informações entre indivíduos. Tudo seria perfeito num mundo ideal. Tudo funcionaria de modo a que todos fossemos possuidores da educação e que possuíssemos elementos necessários para obter uma boa comunicação. Todavia, formadas foram as culturas, dividindo conhecimentos, tradições, costumes, crenças, leis, morais, de tudo um pouco. Não olhemos para a cultura como algo malicioso, apenas como algo enriquecedor para cada país, que como todas as faces opostas contém os seus aspetos negativos. Vejamos os seguintes padrões. Numa dada cultura é proibido que as mulheres frequentem escolas. Noutro país, a pobreza é imensa, não sendo o ensino próximo de todos. Num outro, somente a tradição importa, e se nunca antes o ensino tenha sido valorizado, na mente desses cidadãos continuará sem qualquer sentido até ao fim das suas vidas. Percebe-se então através de inúmeros exemplos, como estes, de como a educação não está ao alcance de todos, sendo assim impossível a obtenção do conhecimento. Consecutivamente a falta de educação gere a alta de erudição, dificultando assim a comunicação flexível. Sociedades com a ausência de educação tornam-se sociedades presas, sociedades fechadas e sem liberdade. 

Porém, em sociedades evoluídas onde a educação está ao alcance de muitos também é possível adquirir aspetos negativos, como por exemplo o uso frequente de estereótipos. Não só os usamos para construir a personalidade de uma pessoa como para descriminar determinados locais. É-nos incutido de certa forma determinados valores relativos a factos, pessoas ou até espaços. Através de conversas, de aprendizagens, do que lemos ou ouvimos ficamos com percepções equivocadas da realidade. A comunicação tem grande impacto entre nós, acreditamos de imediato naquilo que nos dizem sem colocarmos nada em dúvida. Aprendemos diversos assuntos, somos sobrecarregados com histórias das diversas culturas presentes no mundo e concluímos de imediato que tais conceitos são verdadeiros e imutáveis. Reparemos que os meios de comunicação são um meio de persuasão elevadíssimo, daí quando partilham algo com o mundo, passamos a ter aquela imagem memorizada e a percepção de determinado assunto. Um dos estereótipos comuns é o facto de a maioria recorrer às magníficas paisagens e à pobreza para caracterizarem países mais pobres, como África. No entanto, quando nos contam algo oposto, ficamos surpreendidos, agimos de modo ignorante. E porquê? Acontece porque fomos educados e/ou limitados de certa maneira perante a sociedade em que estamos inseridos. 

Para fintar o assunto vejamos a comunidade Amish. Uma comunidade que em pleno século XXI renega a evolução da tecnologia, pondo de lado a utilização de eletricidade. Assim sendo esta não só põe de lado os básicos elementos de comunicação, como se priva da evolução, fazendo com que se coloque numa posição isolada das restantes comunidades. Esta atitude provem da cultura impingida neste meio, facultando uma educação retrógrada. Entendemos então que é difícil, em qualquer comunidade, conseguir conciliar estes três conceitos. Eles podem estar presentes, todavia, não são acessíveis a tudo e a todos.


Reflexão realizada no âmbito da unidade curricular de Teorias da Comunicação
 

Últimos comentários

Comentários