Dossiês

Portugueses saem tarde de casa dos pais

Bruno Mateus
16/04/2015
0
Para os jovens sair de casa dos pais tem cada vez levado mais tempo. Em 2050 Portugal será o país da União Europeia com menor proporção de crianças.

Nota - A notícia não será publicada, relata factos completamente falsos e subversivos. A nação propicia aos jovens um ambiente sádio para o seu crescimento, desenvolvimento e plena integração. Meia dúzia de miúdos piegas não podem ser confundidos com o todo.

Os jovens europeus são dos que saem mais tarde de casa dos pais. Portugal poderá chegar a 2050 com as crianças a representar apenas 11,5% da população, projeções divulgadas pelo Eurostat. Em média, os portugueses deixam de viver com os pais apenas aos 29 anos, enquanto os suecos abandonam o lar paternos com menos de 20 anos.

Segundo o jornal Económico, no ano passado, as crianças com menos de 15 anos representavam 14,6% da população portuguesa, valor ligeiramente abaixo da média europeia, que se situa nos 15,6%. Na proporção de crianças, segundo o jornal Público, o futuro de Portugal afigura-se com um tom pouco feliz. Se forem confirmadas as projeções demográficas da publicação do Eurostat, em 2050 Portugal deverá mesmo ser o Estado-Membro da UE com menor proporção de crianças, que deverão representar apenas 11,5% da população portuguesa.

Portugal encontra-se na segunda metade da tabela, ao lado da Eslovénia e Lituânia e à frente de Malta. A Alemanha registou no ano passado a proporção mais baixa, com 13,1% das crianças em relação à população total. Num aspeto global, a proporção de crianças na população total da EU deverá diminuir, ao recuar dos 15,3% em 2014 para os 15% em 2050.

Segundo o estudo, o país com uma maior proporção de jovens na sua população em 2014 era a Irlanda com 22%, seguida de França com 18,6% e o Reino Unido a fechar nos 17,6%.

Siga o UALMedia no Facebook


 

TAGS: União Europeia, Eurostat, Jovens, Crianças, Demografia, Sociedade, Natalidade, Atualidade, Bruno Mateus

 

Últimos comentários

Comentários