SHOT

Ezra Furman condena racismo

27/09/2017
Tiago Crispim
0
O mais recente single do norte-americano Ezra Furman é Driving To L.A., cujo vídeo é uma mensagem contra os supremacistas brancos por trás da manifestação em Charlottesville. Este é o novo single de Perpetual Motion People.


O músico lançou, em conjunto com o vídeo para o single, a seguinte declaração que transcrevemos.

"Este vídeo é dedicado a Heather Heyer, mora no dia antes de começarmos a filmar. Esta é uma canção de paranóia, fuga e eufórica ego-morte. Decidimos fazer um vídeo sobre mim e o meu companheiro anjo a escapar de nazis dos tempos modernos. 

A perturbadora circunstância de fazer o vídeo foi esta: As gravações tomaram lugar em cinco dias na pequena cidade de Strasburg, Virginia, a 13 de Agosto, o dia após a manifestação "Unir a Direita" em Charlottesville se tornar fatalmente violente, a noventa minutos de distância.Esta foi uma coincidência. Tínhamos planeado filmar ali muito antes de sabermos que havia uma manifestação de extrema-direita marcada para Charllotesville. Então tivemos a estranha experiência de fazer um vídeo musicl sobre fugir a supremacistas brancos na Virgina no momento em que todo o país falava sobre eles, e o presidente recusou a condenar inequivocamente a supremacia branca.  

Foi terrível ver as raízes supremacistas brancas da América florescerem assim outra vez, para não mencionar a misogenia, homofobia e anti-semitismo que a acompanhavam. Pretendo que esta música, vídeo e toda a minha carreira seja um protesto contra estas atitudes. Este vídeo é sobre o medo transformar-se em violência. 

Espero que não precise de dizer que não apoio disparar uma arma contra um carro cheio de pessoas, sejam elas raivosas supremacistas brancas ou não. Este video é uma fantasia e um pesadelo. Penso que combina com o pesadelo cultural que agora vivemos, um que rezo para que cedo acordemos".


Siga-nos no Facebook

 

Comentários